Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

terça-feira, 16 de setembro de 2014

do livro que eu li - o outro pé da sereia



A saudade é uma tatuagem na alma: só nos livramos dela perdendo um pedaço de nós.
pág. 262

o primeiro livro que li de Mia Couto, parti sem grandes expectativas, cheguei ao final maravilhada. a escrita é poética, cheia de imagens e evocações, faz sorrir, reflectir e acabar com vontade de começar de novo.

dois tempos que se cruzam, tempos que partilharam o mesmo espaço. um espaço no qual se forjaram muitos mundos. vidas que se cruzam, se perdem, se encontram, se reencontram, se reinventam. Moçambique. todo o presente tem passado e marca o futuro.

por mais que tente escrever sinto faltarem-me as palavras para descrever a beleza, sentir e sentido(s) deste livro.

o outro pé da sereia entrou para a lista dos livros que me encantaram, e que um dia vou querer reler, reabsorver, reinterpretar...

6 comentários:

  1. obrigada pela partilha Minha Canca!! bjos e saudades... muitas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Partilhar é bom...

      Saudadinhas, muitas, muitas.

      Beijo enorme*

      Eliminar
  2. Nunca li Mia Couto, mas já vi que tenho de experimentar. :)
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Experimenta, eu fiquei a amar. :)

      Beijos, muitos*

      Eliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...