Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

o essencial é invisível aos olhos

descobri na minha vida uma nova espécie de pessoas, pessoas-aranha, aquelas que julgam ser fácil apanhar-me na sua teia. confundem sinceridade com falta de inteligência. confundem insegurança com falta de respeito por si mesmo.
 
 

4 comentários:

  1. Gostei da denominação dessa estirpe de pessoas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sou uma aracnofóbica crónica! :P

      Beijos

      Eliminar
  2. Acho que descobriste o nome correcto para essas pessoas. :)
    Dessa gente quero distância. E tu faz o mesmo. Longe, longe...
    beijinho ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Aracnofóbica como sou quando as vejo desato a fugir, e ainda solto gritos de aviso! :P

      Beijos, muitos*

      Eliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...