Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

terça-feira, 8 de abril de 2014

acabadinho de ler - Os Miseráveis


a história de um homem, através dela a história civil francesa nos anos conturbados que se seguiram à queda de Napoleão. final do século XVIII inicio do séc. XIX um país em mudança e as crenças que essas mudanças acalentam naqueles que as vivem. um relato histórico baseado em factos verídicos, uma vida romanceada de forma a mostrar as con(tra)dições da vida no Paris daquela época.
um romance intenso que me prendeu pela vontade de conhecer o destino de Jean Valjean, um romance denso pela qualidade dos relatos históricos. nem sempre uma leitura que prende, tem descrições exaustivas de determinadas personagens, à altura pareciam não fazer sentido, no final fiquei a admirar a mestria de Victor Hugo na escrita. 
o desfecho aperta o coração, nada cor-de-rosa...

10 comentários:

  1. Já li há muito tempo...verdadeiramente magnífico!
    Beijinhos Canca!!!
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também gostei bastante.

      Beijinhos Maria, muitos*

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Não é uma leitura "fácil", mas acabou por me conquistar. :)

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Eu só vi o filme mais recente e não gostei nada. Do filme, acredito que a história seja linda de se ler.

    12 LOVE

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não vi o filme, da minha experiência os livros são sempre melhores. :)

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Eu vi o filme, o musical com o Hugh Jackman e gostei muito. Acredito que também iria gostar do livro e espero um dia ganhar coragem. Tenho ali na estante uma edição que o divide em 5 livros e só de olhar perco a vontade, eu que gosto tanto de ler. Nunca percebi porquê, mesmo tendo o meu pai sempre a incentivar-me para os ler. Quem sabe um dia. :)
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nunca vi o filme, mas recordo-me na adolescência ver a mini-série que passou na RTP 2, embora já não me lembrasse da história. Um livro é sempre um livro, nenhum como ele consegue contextualizar épocas, mostrar detalhes...
      Não é um livro fácil de se ler, inicialmente algumas descrições parecem massudas, mas à medida que se vai avançado vamos percebendo a intenção do autor. É um livro intenso, díria mesmo emocionalmente pesado, mas valeu a pena, posso dizer que fiquei com carinho não só pela personagem Jean Valjean, mas pelo próprio Victor Hugo, este livro fá-lo parecer um senhor de coração grande. Não será alheio a esta crença ter sido ele o criador do meu adorado Quasimodo!
      Acho que percebo esse teu medo, a edição que li é a completa, são mil e algumas páginas, numa letra mini minúscula :), se começares a ler o que te vai custar mais é o 1.º, depois começas a ganhar interesse, comigo foi assim. :) De qulaquer modo aconselho-te a fazê-lo numa época em que tenhas disponibilidade de tempo e mental. ;)

      Beijinhos

      Eliminar
    2. Disponibilidade de tempo e mental por agora não há. Já vi que devia ter aproveitado para o ler quando estive desempregada. Quem sabe numa fase mais calma da minha vida, pegue nele. :)
      beijinho

      Eliminar
    3. Que seja uma fase calma, mas com trabalho.

      Beijinhos*

      Eliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...