Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

quarta-feira, 2 de abril de 2014

isto de ser feliz...

tem muito que se lhe diga.
sei muito pouco do assunto.
parece-me no entanto saber bem mais que alguns que julgam ser peritos na matéria.
tem-me acontecido, vezes de mais nos últimos tempos, considerarem-me pouco feliz.
confesso não entender muito bem porquê!
o engraçado disto é que, são essas mesmas pessoas que me têm vindo a mostrar o quanto eu sou feliz.
falta-me a pessoa mais importante da minha vida, e isso eu não posso, nem quero esquecer.
durante algum tempo pensei que coisas tão simples como sorrir e voltar a ouvir música eram uma traição à dor que sentia pela perda do meu pequeno príncipe.
após a partida dele doeram-me os primeiros sorrisos, doeu-me profundamente cada gargalhada. doeu-me tanto, mais de um ano depois, ter voltado a ouvir música, doeu-me voltar a ter vontade de cantarolar (a toda a hora). doía-me estar viva e querer continuar a viver...
falta-me a pessoa mais importante da minha vida, e isso eu não posso, nem quero esquecer. ele era apenas uma criança e tinha tanta vontade de ser feliz.
ser feliz não tem definição, é algo tão único quanto nós.
ser feliz para mim é sobretudo ver aqueles que eu amo felizes.


pequeno príncipe eu às vezes sou feliz, tem momentos, tem dias.
pequeno príncipe tu és parte de mim, a todo o momentos, todos os dias.
pequeno príncipe tu ensinaste-me a saber ser feliz.
pequeno príncipe tendo tantas saudades de ser feliz contigo.

10 comentários:

  1. É muito complicado perdermos as pessoas de quem mais gostamos... (In)Felizmente sei bem o que é o sentimento de perda, custa tanto...
    Lamento muito a tua perda, mas não duvido que sejas uma mulher forte e cheia de garra... e feliz à sua maneira :) Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Feliz à minha maneira, sem nunca esquecer os meus, se eles não estão bem, eu não sei ser feliz.

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Minha querida Canca,

    a perda de alguém que nos é tão próximo e querido é muito triste, mas temos que continuar e encontrar a felicidade mm guardando mágoa no teu lindo coração.

    beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Doce Carminho

      A vida segue, por muito que nós desejássemos que para nós tivesse cessado quando perdemos aquele alguém que tanto amávamos. Um dia damos por nós a voltar a sentir-nos felizes, ainda que feliz será sempre uma felicidade incompleta.
      Fico triste quando me parece que querem que seja feliz à custa de esquecer o que vivi, isso não é ser feliz é mascarar-se de felicidade, eu não sou, nem quero ser assim.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Não há ninguém que seja totalmente feliz, ou feliz o tempo todo. Nós temos momentos de felicidade e são esses momentos que fazem valer a pena viver tudo o resto.
    E o teu príncipe estará muito melhor ao saber-te feliz, nesses momentos que a vida te dá. Aproveita-os. Por ele e por ti. :) :) :)
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ser feliz é saber viver, é aprender a dar valor ao que realmente o tem, as pequenas maravilhas, é fazer os outros felizes, é tanta coisa, tanta quanto somos tantos... não podemos querer que os outro sejam felizes à nossa maneira!
      Se sei ser feliz devo-o muito a ele, a força do amor que sinto por ele é das melhores coisas da minha vida, não me impede de amar, inspira-me.

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Roubou-me uma lágrima... Continue feliz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Um momento de cada vez. :)

      Beijinhos

      Eliminar
  5. eu perdi a mh mãe há 3 anos... fiquei sem a minha pessoa, e vivi muito silêncio, de televisão, de musica e de pessoas. Hoje continuo sem ver televisão em casa, já escuto, canto e danço musicas e convivo qb (continuo a não identificar-me com grandes festejos). Nestes 3 anos aprendi a ser mais feliz do que antes, pois passei a ver a vida de outra forma. Esta (minha) conclusão já me "doeu" mais, agora vou aceitando-a cd vez mais de coração aberto e sem preconceitos sobre mim. Todos os dias ela me faz falta, e todos os dias devo fazer por mim e por ela o melhor que posso para viver feliz, que é isso que a minha mãe queria para mim e aproveitar a vida enquanto aqui posso andar. permite-te essa liberdade, pensa que o teu pequeno príncipe precisa recepcionar essas tuas boas energias, para ter a certeza de que estás bem, que sabes cuidar de ser feliz e livre. Bj*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana

      "Nestes 3 anos aprendi a ser mais feliz do que antes, pois passei a ver a vida de outra forma." Julgo perceber bem o que queres dizer, as situações mais dolorosas podem sempre ter um lado menos mau, podem tornar-nos seres humanos melhores, se tivermos a capacidade de saber aprender e crescer com elas. Não é esquecendo quem amávamos que sofremos menos, e voltamos a sorrir, é lembrando-as e sabendo dar valor ao que a sua perda nos ensinou.
      O meu pequeno príncipe, a minha mãe, que perdi há 10 anos, a minha avó (não menos mãe) estariam orgulhosos de mim, e eu tenho um imenso orgulho de ter tido o privilégio de partilhar a vida com eles, muita da minha luz interior vem deles. Continuo a amá-los, mais e mais.

      Abraço, apertado

      Eliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...