Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

domingo, 2 de novembro de 2014

o livro que eu li - O Erro de Descartes


ouvi falar deste livro numa das primeiras fases da minha vida em que achei a emoção estar a ter um peso maior que a razão. sabia-o, mas nada conseguia fazer, precisava descobrir o segredo que levaria o meu cérebro ao comando, pensei ter encontrado o caminho! era jovem... sabia tão pouco do ser humano e da vida! não o comprei na altura, mas manteve-se na minha wishlist, acabei por o comprar (certamente, em alguma promoção imperdível) há cerca de dois anos. este verão finalmente li-o.

como podem calcular é um livro científico, que em momento algum se propõe dar-nos ferramentas milagrosas para controlar a emoção e deixar a razão dominar,  por assim ser desculpo-me antecipadamente pela opinião redutora que vou partilhar, é apenas e só a de uma leiga em neurociência.

António Damásio demonstra através do estudo do nosso elemento mais complexo - o cérebro - que emoção e razão não existem isoladamente, mas sim como parte de um todo, o nosso eu. o nosso cérebro não toma decisões per si, precisa da referência de um corpo para "sentir" o mundo e de um meio social para "construir" referências de actuação. para melhor compreendermos o livro o autor define os seguintes conceitos: 

razão- capacidade de pensar e fazer inferências de um modo ordenado e lógico.

racionalidade- qualidade do pensamento e do comportamento que resulta da adaptação da razão a um contexto pessoal e social.

emoção - conjunto de alterações que ocorrem quer no corpo quer no cérebro e que normalmente é provocado por um determinado conteúdo mental.

sentimento - percepção das alterações associadas às emoções.

embora seja daquelas pessoas que tem a enorme tendência para considerar a emoção como algo de irracional, processado sabe-se lá em que parte de nós, foi impossível ao longo da leitura não ter a sensação que a teoria sustentada por Damásio é perfeitamente lógica e até da ordem do (meu) senso comum! exemplifica bem essa noção o trecho abaixo, o qual aborda um assunto que muitas vezes me ocupa a mente, e que parece ser invisível a muitos. seremos nós os responsáveis pelas nossas acções, ou o que somos é em grande medida definido pelas nossa carga genética? e se assim é até que ponto somos os reais responsáveis pelas nossas acções consideradas anormais?

A diferença entra as doenças do "cérebro" e "da mente", entre problemas "neurológicos" e "psicológicos" ou "psiquiátricos" é, infelizmente, uma herança cultural que ainda hoje marca a nossa sociedade e a medicina. Reflecte uma grande ignorância básica no que toca ao cérebro e à mente. As doenças cerebrais são encaradas como tragédias que atingem pessoas que não têm qualquer culpa pelo seu triste estado, enquanto as doenças mentais, sobretudo as que afectam a conduta e as emoções, são vistas como inconveniências sociais de que os próprios doentes são culpados. Os doentes são assim culpados pelas suas falhas de carácter, ou pelo deficiente controlo emocional. (pág. 72)

emoção e razão que conclusão? impossível, por enquanto, definir o que nos faz pensar e sentir de determinada forma, o segredo está quase certamente escondido no muito que há por saber sobre o nosso cérebro. sabemos no entanto que este só "pensa" em função das mensagens que o "sentir" do corpo lhe transmite, quando inserido em determinado ambiente.

6 comentários:

  1. Interessante!! ;) Uma leitura diferente! ;)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Diferente, mas muito interessante. :)

      Beijinhos

      Eliminar
  2. Eu ouvi falar deste livro quando estudei psicologia e embora ainda não o tenha lido, tenho imensa curiosidade em fazê-lo porque aborda um tema que gosto.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu gostei, mesmo para uma leiga achei que vale a pena.

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Nunca li este livro, mas sempre tive imensa curiosidade em fazê-lo. Talvez o compre brevemente :)

    r: Oh, que querida *.* muito obrigada!

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem sempre presente que é um livro científico. ;)

      Beijinhos*

      Eliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...