Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

domingo, 3 de novembro de 2013

viver no campo é assim... os bichos ligam-se a pessoas especiais, e tornam-se eles igualmente especiais

Ontem à noite, depois de estacionar o carro, diz-me a mana:
- Sabes o que estava ali?
- O que era?
- Um Ouriço. O pensamento trágico na minha cabeça - acabei de o esmagar com o pneu - foi interrompido pela continuação da fala. Acho que se escondeu.
Fomos procurar e lá estava ele, não se tinha escondido e nem sequer se enrolou. Ainda lhe fiz uma festinha nos picos, e tentei tirar uma foto, como estava muito escuro não consegui. Impossível não me lembrar de ti ABT. 


Antes de entrar no portão de casa, diz a mana:
- Olha outra vez um daqueles bichos, blhac, já ontem tinha visto duas. E afasta-se do animal.
- Deixa lá é apenas uma Salamandra, não faz mal a ninguém, é fruto do tempo.
- Sabes bem que as acho nojentas. 
Tal como a nossa mãe achava. Impossível não me lembrar de ti mãe.


10 comentários:

  1. Os animais e esse animal em especial é também o meu de estimação, tenho mesmo de ir viver no campo daqui a uns anos, :)*

    beijinhos e continuação de bom fim-de-semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma excelente ideia.

      Beijinhos, boa semana. :)

      Eliminar
  2. Que ternura, o ouriço! Quanto a salamandras, acho mais ou menos o mesmo que achava a sua mãe. Tenho tanto nojo, tanto, tanto...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Todos os animais merecem ser gostados, alguns só de longe, muito longe. ;)

      Beijinhos

      Eliminar
  3. Viver na aldeia tem destas coisas, sim. Há uns dias estava com o portátil no terraço e quando dei por ela tinha um gafanhoto pequenino apoiado na esquina do portátil. Primeiro assustei-me, depois desatei-me a rir. :)
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Viver no campo é assim... se bem que se tivesse sido comigo não sei se o cumputador tinha ficado inteiro, tenho pânico de gafanhotos. :/

      Beijinhos

      Eliminar
  4. Adorável, mesmo! :)
    Beijinhos e Bom domingo!

    ResponderEliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...