Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

segunda-feira, 11 de março de 2013

apontar o dedo


Não gosto de pessoas que apontam o dedo, que têm a necessidade de culpabilizar os outros, de os fazer sentir-se mal por algo que fizeram, errar é tão humano, saber compreender também deveria ser.

Quando sabemos que alguém cometeu um erro por desconhecimento, isso não é motivo para o humilharmos, apontando-lhe o dedo em praça pública, expondo sem ponta de consideração as suas fragilidades. O outro, como nós também já fizemos, errou porque desconhecia, o outro como nós merece que, alguém lhe mostre o que ele ainda não tinha visto, mostrando igualmente que o consideramos.

Se queremos ser respeitados, temos antes, e acima de tudo de respeitar, tratar os outros como iguais, porque é isso que somos, não importa se nas circunstâncias actuais até dependem de nós para, as circunstâncias, como a vida, são efémeras.
 

8 comentários:

  1. Tens imensa razão! Também detesto pessoas que gostam mais de culpar os outros e que não têm sensibilidade para pensar bem nas coisas!

    http://carpediemtome.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Parece que nunca erraram, e que sentem prazer em inferiorizar os outros, detesto.

      Bjs

      Eliminar
  2. Detesto pessoas que passam a vida a apontar os defeitos e os erros dos outros. São tão "poucachinhas"...
    Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deviam era começar a olhar para elas!

      Beijo grande

      Eliminar
  3. Com o meu amadurecimento, cresceu em mim uma capacidade de tolerância que eu não tinha. Tolero quem erra por desconhecer, mas aponto o dedo à incompetência (e a outras coisas)e a quem faz questão de a cultivar.

    Jinhossss

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo contigo há culpas que não deveriam morrer sozinhas, mas essas infelizmente morrem.
      Os apontadores de dedos a que me referia são aqueles que, usam a posição que têm para humilhar os que deles dependem, e quando é preciso apontar o dedo a culpados de quem são eles a depender ficam caladinhos! Mentes pequeninas, do tamanho de microorganismos, não há formação que lhes valha...

      Beijo grande

      Eliminar
  4. Tens razão...parece que há pessoas que ficam felizes com o mal dos outros. :/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo isso que parece, gente com mentes pequeninas...

      Bjs

      Eliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...