Se tivessem acreditado na minha brincadeira de dizer verdades teriam ouvido as verdades que teimo em dizer a brincar, falei muitas vezes como um palhaço mas jamais duvidei da sinceridade da plateia que sorria. Charles Chaplin

Tornámo-nos eternamente responsáveis por aquilo que cativamos. Antoine de Saint-Exupéry

A cabeça que se não volta para os horizontes sumidos não contém nem pensamento nem amor. Victor Hugo

Não importa o que fizeram connosco, importa o que fazemos com aquilo que nos fizeram. JP Sartre

quarta-feira, 13 de março de 2013

coisas que me ultrapassam completamente!

Como é que alguém vai para uma capela funerária e deixa o carro estacionado, com a música em altos berros?!

8 comentários:

  1. :O...sério? Como é que é possível?
    Se há coisa que não gosto de ver nos funerais é as pessoas estarem a conversar como se estivessem no café, com altas gargalhadas e tudo. Acho que se deve estar em silêncio, em memória do falecido e num sinal de respeito para com a família.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sério, eu já achei estranho estacionar o carro e sair deixando o rádio ligado, mas quando percebi para onde iam, fiquei parva! Plenamente de acordo contigo, até costumo muito utilizar essa expressão "estão no velório como se esttivessem no café", uma total falta de respeito pela memória de quem partiu, e pela dor dos que perderam. Infelizmente, a insensibilidade graça na sociedade em que vivemos. É triste :(

      Eliminar
  2. Se calhar está traumatizado e a música é uma forma de lidar com o luto ;)
    Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E deve estar a tentar traumatizar os outros ;)

      Bjs

      Eliminar
  3. A sério? Deve ter algum problema mental, só pode.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora fizeste-me rir, só pode mesmo, mas eram duas pessoas, doidice contagiosa?

      ;)

      Eliminar
  4. Pode haver muitos motivos, eu nesses casos não costumo julgar, o sentimento de perda é um dos piores que pode existir e eu não sei como vou reagir quando perder as pessoas que mais amo.

    beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em privado podemos viver a dor à nossa maneira, em público temos de respeitar a dor dos outros... Já senti na pele o que é esse desrespeito...

      Beijos

      Eliminar

Partilhem, que partilhar tem graça! Façam o favor de me roubar sorrisos...